Curtas

A partir do dia 09/07/2017, a transferência entre linhas municipais de Diadema e São Paulo e linhas de trólebus será tarifada em R$1,00 nos terminais Diadema, Piraporinha e São Mateus. [05/07/2017 - 14h30]

De acordo com publicação do Diário Oficial de São Paulo, de 03/02/2017, o ponto final das linhas 020, 022, 131 e 492, em Carapicuíba, passará a ser na altura do nº 262 da Rua Ten. José Nogueira, um pouco acima do terminal oficial atual. Data ainda não definida. [03/02/2017 - 11h25]

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

EMTU Notícias vai as ruas

- Pesquisa aponta que maioria aprova trocar o carro pelo ônibus, mas contesta a qualidade do serviço.



Av. Prestes Maia


Em dia de debates sobre o meio-ambiente, o Blog EMTU Notícias foi às ruas saber a opinião popular sobre nosso sistema de transporte em massa (incluindo Ônibus, Trens, Metrô, Estradas e Estrutura). Foram entrevistadas 50 pessoas entre advogados, funcionários públicos e trabalhadores da região de Santo Amaro. Foi um tema que gerou muitas discuções e divergência de opiniões em torno dos entrevistados.

"Sou a favor de usar-se o transporte coletivo no lugar do carro. Quanto mais carros na rua, mais poluição; mais trânsito; mais acidentes; mais gastos com reforma de ruas; etc." - Nilton, Advogado.

"Sou contra, por uma questão de conforto. Sofremos demais com ônibus cheios, muitas vezes quebrados. Se houvesse investimentos sérios por parte do poder público, onde o rítmo das obras de infraestrutura acompanhassem o rítmo do crescimento, quem sabe." - Cristiane Duarte, Funcionária Pública.

"Não apoio, pois como já citado pela colega Cristiane, infelizmente o transporte público é precário e não acompanha o crescimento da cidade." - Gabriela Andreza, Estagiária.

"Apoio, mas precisa atender a demanda. Com a baixa oferta e a alta demanda que temos, fica quase impossível tomar esta atitude. Eu mesmo saio às 11h45min. do meu outro emprego e às vezes não posso abrir mão do meu carro." - Sérgio Israel, Funcionário Público.

 Av. Prof. Francisco Morato

Com o andamento da pesquisa, foram surgindo novos temas e sugestões, tais como o uso de motocicletas e bicicletas, por exemplo. Muitos, mesmo assumindo o risco da intensidade do tráfego atual, preferem cumprir funções rotineiras de moto.

Há ainda aqueles que preferem ir trabalhar de bicicleta, que foi muito citada apesar de não estar inclusa nas perguntas. Sobrou até mesmo elogios para a ciclovia da Marginal Pinheiros e para a nova ciclovia do Butantã. "Meu colega leva vinte e cinco minutos para chegar de Interlagos até a Vila Olímpia. Se fosse de ônibus, levaria no mínimo uma hora e meia, e de trem é muito difícil por causa da superlotação. Se houvesse a mesma estrutura no caminho que faço todos os dias, eu também não abriria mão da bicicleta. Economizaria tempo, dinheiro e me manteria em forma!" - disse um advogado, citando o uso da bicicleta.

No total, 52% dos entrevistados apoiam a substituição do automóvel pelo sistema de transporte coletivo (porém 87% dos mesmos contestam a qualidade do serviço atual), 34% não gostam da ideia e preferem utilizar o automóvel (em sua maioria abordando a questão do conforto), e 2% não souberam ou não opinaram. 12% citaram ainda a bicicleta como meio alternativo de transporte, apontando seus pontos positivos (economia, rapidez e exercício) e negativos (periculosodade, falta de estrutura para bicicletas em alguns locais da cidade).

Nenhum comentário:

Postar um comentário